Disorganized Attachment, 2021
Grafite s/ papel de impressão e post-it
Grafite s/ papel de impressão
21×29,7cm, série

Se o meu trabalho é, na sua essência, sobre espaço e as suas possibilidades dinâmicas, sobre movimento e ação, sobre ocupação e transgressão, dentro e fora de nós, então faz sentido que este confinamento tenha sido altamente frustrante para mim. A sensação, ou a realidade, de que dei um passo atrás. A raiva e o medo que surgiram foram muito fortes. E só há pouco compreendi que fui obrigada a recuar – mesmo que temporariamente. A verdade é que já não estou OK com ser obrigada a fazer o que quer que seja. E confesso que houve uma parte de mim que se sentiu confortável com o ‘ter’ de voltar para casa. Mas penso que essa parte de mim são resquícios de quem era e como me via. Hoje sou livre.
Disorganized Attachment é uma série de desenhos feita em Fevereiro, nos dias em que estava a trabalhar na empresa para a qual trabalhava antes de ir para as Caldas. São desenhos feitos no verso de folhas de trabalho. São desenhos feitos ao longo de 8 horas, e de modo intermitente. São desenhos que canalizaram alguma desta frustração e que a tornaram evidente para ela. Foram importantíssimos para começar a compreender o impacto do assalto que foi feito quando foi obrigada a pôr a sua vida em pausa. 

Um versão de Disorganised Attachment, de Maria Miguel Von Hafe, está presente na edição serigráfica deste Cubículo.